Mais do que um recurso da natureza, as árvores fazem parte de nosso dia a dia (nos remetem às lembranças das escaladas nas espécies presentes no quintal de nossas casas, no jardim do amigo ou na chácara de um parente...) e são fundamentais para nossa existência! No dia 21 de setembro, antecipando a chegada da primavera (sábado, 23), comemoramos o Dia da Árvore, uma forma de nos conscientizarmos para a importância desta espécie para o Planeta.
 
Graças ao processo de evapotranspiração, essas espécies da flora contribuem com o aumento da umidade do ar; evitam erosões; captam o CO2 do ar e produzem o oxigênio pela fotossíntese; reduzem a temperatura e fornecem sombra, abrigo e alimento para os animais e para nós, seres humanos. 

Sabendo da importância das árvores, e como elas são essenciais para composição dos ecossistemas, possuímos aproximadamente mais de quatro milhões de metros quadrados de área preservada representadas pelo Parque Malwee, Pico Malwee e a Reserva Fontes e Verdes.

Só no Parque, são nada menos do que 35 mil árvores, de várias espécies. Além de espécies nativas, outras foram agregadas no decorrer dos anos, como o Jambo, espécie existente em apenas algumas regiões do País e uma espécie de Pinus Japonês, cuja semente foi trazida por Wolfgang Weege em uma visita à um templo budista no Japão. Há também árvores e palmeiras originárias da Polinésia e, ainda, 4 mil ciprestes Bidwille. Entre as árvores mais exóticas, há limoeiros raros, o côco-anão, a nozeira pecan, o flamboyant, a cerejeira, as araucárias e uma grande plantação de palmitos.

O Parque Malwee é aberto ao público gratuitamente. Lá, além de identificar as diferentes espécies de árvore, você fica em contato com uma natureza exuberante e pode entender como unimos a responsabilidade socioambiental e o compromisso público com a preservação dos recursos hídricos, a biodiversidade e com as novas gerações! 

Comentários