As mudanças no comportamento do consumidor do varejo de moda pós-pandemia já são percebidas e a busca por proteção nos itens de vestimenta se confirma como forte tendência no mercado. Pensando nisso, a Malwee lança um mix de produtos de uso social com recursos especiais de proteção.

A linha Malwee Protege traz máscaras e camisetas produzidas em tecido com acabamento antiviral, antibacteriano e antifungos. A marca usa a tecnologia HeiQ Viroblock desenvolvida pela CHT, aprovada com eficiência em laboratório contra o SARS-CoV-2, o vírus causador da COVID-19. Os testes conduzidos pela empresa de inovação têxtil suíça HeiQ juntamente com o instituto Peter Doherty para Infecção e Imunidade em Melbourne, Austrália (Instituto Doherty), mostraram que o tecido tratado apresentou uma ação antiviral muito rápida contra a cepa viral SARS-CoV-2.  

De acordo com Luiz Thiago R. de Freitas, Gerente Industrial Têxtil da Malwee, a Malwee teve como principal preocupação lançar produtos coerentes com o novo contexto social e com a realidade dos seus consumidores.

“Enquanto empresa, abrimos mão de grande parte da margem lucro das peças para que o maior número de brasileiros possível tivesse acesso à essa tecnologia, que é uma das primeiras tecnologias têxteis testadas no mundo, com eficácia comprovada em laboratório, contra o SARS-CoV-2. E a Malwee sai na frente no mercado brasileiro lançando primeira linha de peças do país que emprega a tecnologia com essa proteção para uso no dia a dia, junto com Europa e EUA”, diz Freitas.

As máscaras da linha Malwee Protege são as primeiras com tripla camada de tecido 100% algodão, seguindo os novos padrões recomendados pela OMS. As duas primeiras camadas de tecido possuem *nota máxima em repelência à água; a primeira protege o usuário de gotículas externas e a segunda camada potencializa a capacidade de filtragem da máscara. E a proteção extra vem com a terceira camada em tecido que possui combinação inovadora de duas tecnologias: a atividade antimicrobiana dos sais de prata e a química lipossomal com efeito antiviral. Combinadas elas são capazes de destruir mecanicamente a parede dos vírus envelopados (incluindo o SARS-CoV-2). Além de efeito antiviral comprovado, a tecnologia tem efeito contra bactérias e fungos. A máscara produzida pela Malwee possui alto grau de respirabilidade e a tecnologia apresenta a propriedade antiviral mesmo após 30 lavagens, mantendo altos índices de inibição antimicrobiana.

As peças da linha Malwee Protege estarão disponíveis para venda no e-commerce da Malwee na primeira quinzena de julho com 4 opções de camisetas femininas (R$49,99 cada), 4 opções de camisetas masculinas (R$49,99 cada) e 4 opções de kits contendo 2 máscaras (R$29,99 o kit). As crianças também terão a sua linha de produtos com recursos especiais de proteção: Malwee Kids Protege traz 4 opções de camisetas para menina (R$39,99 cada), 4 opções de camisetas para menino (R$39,99 cada) e 4 opções de kits contendo 2 máscaras infantis (R$24,99 o kit).

A companhia informa que vai destinar 50% do lucro das vendas dos produtos da linha, realizadas no e-commerce da marca, para a doação de cestas básicas a crianças que se encontram em situação de emergência causada pela COVID-19.

Vale lembrar que o uso de peças produzidas em tecido com propriedades antivirais garante uma proteção adicional, mas não substitui os cuidados recomendados pela OMS: lavar as mãos, usar álcool em gel, evitar tocar o rosto, uso obrigatório de máscara ao sair e, se puder, fique em casa. 

*De acordo com ensaio do padrão AATCC22. 

Comentários