A produção de lixo é uma questão debatida mundialmente. Segundo um relatório do Banco Mundial, cerca de 2 bilhões de toneladas de lixo são descartadas por ano - esse é o peso aproximado de 280 milhões de caminhões de lixo, dá para imaginar esse volume sendo aterrado todos os anos?

Além disso, estima-se que, no mundo, cerca de 5,2% do volume de lixo nos aterros seja proveniente da indústria têxtil. Ou seja, 1 caminhão por segundo.

Por isso, além de nos preocuparmos com a qualidade das roupas que produzimos, precisamos pensar no impacto que elas podem gerar no planeta. Essa preocupação não é recente: começou há 20 anos, mas nos desafia até hoje. 

Afinal, em 2015 estabelecemos uma meta bem ousada em nosso Plano de Sustentabilidade: chegar em 2020 com 40% de redução de resíduos gerados (por peça) e não levar mais resíduos industriais para o aterro. Parte desse desafio já atingimos!

Nossos resíduos têxteis, aqueles retalhos descartados após o corte das peças, já são totalmente reciclados, processados e transformados em novos fios para a fabricação de algodão desfibrado. 

Nossa equipe também desenvolveu um mecanismo de secagem do lodo (um composto úmido gerado após o processo de tratamento dos efluentes) para reduzir em 80% o volume deste material. 

Para isso, foi feito o aproveitamento do calor excedente gerado da nossa caldeira de biomassa. Com a instalação de uma tubulação adequada, o calor foi direcionado para uma espécie de tanque onde o lodo passa pelo processo de desidratação, sendo transformado em pequenos flocos.  

A ideia é que nos próximos anos esse lodo tenha um destino ainda mais ecológico: estudantes e pesquisadores estão buscando maneiras de agregar esse material em processos da construção civil. Assim, os resíduos serão 100% reciclados.

Quer saber mais sobre os nossos cuidados com o planeta? Acompanhe a nossa retrospectiva!

Comentários