Processos Têxteis

A eficiência dos processos é fundamental para um bom desempenho dos parâmetros de sustentabilidade.

De um modo geral, o consumo de recursos naturais e as emissões de poluentes, sejam eles líquidos, sólidos ou gasosos, devem ser minimizadas.

Parâmetros como, consumo de energia, emissões de gases do efeito estufa e geração de resíduos são focos de atuação no mercado. No setor têxtil, o consumo de água e o controle dos químicos no processo produtivo são temas essenciais de atuação para um melhor desempenho sustentável.

Atualmente, é percebida a preocupação do Grupo Malwee com os impactos de seus processos através de ações da área industrial que visam a redução destes impactos, como o reuso da água no próprio processo e a troca da matriz energética da empresa (substituição da caldeira a gás natural por biomassa).

O Grupo Malwee possui capacidade de reuso de até 200 milhões de litros de água anualmente em seu processo devido a um sistema inovador de tratamento de efluentes com 98% de eficiência.

Objetivos

Operar processos sustentáveis com menores índices de consumo de água e energia do setor.
Reduzir continuamente a geração de resíduos e eliminar a necessidade de envio de resíduos industriais para aterro.
Reduzir continuamente a geração de gases de efeito estufa.

METAS 2020:

1) Redução de 40% do consumo de água por peça produzida.

2) Redução de 15% do consumo de energia por peça produzida.

3) Reduzir em 40% a geração de resíduos sólidos por peças produzidas e zero resíduo industrial para aterro - 100% dos resíduos gerados recicláveis ou biodegradáveis.

4) Redução de 20% das emissões de gases de efeito estufa (CO2 eq.).

Ações

Tratamento de Efluentes

A matriz fabril do Grupo Malwee localiza-se em Jaraguá do Sul e abriga dentro da sua propriedade o curso do Rio Jaraguá, um dos mais importantes da região. É deste rio que é captada toda a água utilizada no processo produtivo da empresa e, por essa razão, a sua preservação é objetivo recorrente em projetos ambientais do Grupo.

Assim, após várias pesquisas e testes, optou por adotar o sistema de tratamento de efluentes por membrana de ultra-filtração, que além de ser utilizado em conceituadas indústrias têxteis europeias, proporciona maior eficiência no tratamento do efluente, contribuindo com a melhoria da qualidade do mesmo. Esse sistema começou a ser construído efetivamente em 2012, e com ele a empresa garante ainda o aumento de volume de recuperação de água para reutilização no processo produtivo e elimina os riscos da fuga de sólidos (lodo), aumentando a capacidade de tratamento de efluentes, de 5.500 m³/dia para mais de 7.200 m³/dia, além de diminuir a utilização de insumos químicos no tratamento da água.

As instalações desse novo sistema contam com 600 m² de área construída que possui: laboratório de análise da qualidade da água, sala de treinamentos além da infraestrutura tradicional para este tipo de operação. Com estas melhorias, a eficiência do tratamento de efluentes hoje alcança um patamar superior a 96% de DBO- demanda bioquímica de oxigênio, resultando em um efluente devolvido ao rio Jaraguá de excelente qualidade, obedecendo com folga a todos os padrões ambientais exigidos. Atualmente, são recuperados até 50.000 litros/hora de água por meio deste sistema, volume que volta para o processo para ser reutilizado. Essa água é aproveitada principalmente no setor de tinturaria, especificamente nos processos de tingimento e lavação. Com isso, o Grupo Malwee deixa de captar do rio Jaraguá até 200 milhões de litros de água por ano, reforçando a sua atuação ecologicamente responsável. Abaixo a tabela dos parâmetros legais controlados com os resultados médios do ano. Conheça mais sobre a recuperação de água.

 

Parâmetro Média 2015¹ - saída do tratamento Unidade Resolução CONAMA nº 430/2011 Lei Estadual SC nº 14.675/2009
DBO 11,66 mg/L No mínimo 60% de remoção 60 mg/L ou no mínimo 80% de remoção
DQO 115,5 mg/L - -
Fósforo Total 2,98 mg/L - 4,00 mg/L ou 75% de remoção
Fenol 0,02 mg/L 0,5 mg/L -
Sólidos sedimentáveis 0,11 mg/L 1,00 mg/L -
Tensoativos 1,47 mg/L - 2,00 mg/L

¹ média de seis meses.

Gestão de Resíduos

O Grupo Malwee age intensamente sobre a gestão de resíduos provenientes da sua operação, e neste tema vai além do que preconiza a legislação.

 

Metas de Redução de Resíduos

O Grupo estabeleceu metas de redução dos resíduos ambiciosas visando estimular:

  • A redução na geração
  • A economia circular
  • Zero ocupação de aterros

O desempenho das metas é reportado anualmente no relatório de sustentabilidade da companhia, disponível no site http://www.grupomalwee.com.br/

Gerenciamento de Resíduos na Operação

A empresa segue a legislação vigente e elabora, anualmente, seu Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais (PGRSI) que estabelece os princípios básicos da minimização da geração de resíduos, identificando e descrevendo as ações relativas ao seu manejo adequado, levando em consideração os aspectos referentes a todas as etapas compreendidas pela geração, segregação, acondicionamento, coleta, transporte interno, armazenamento temporário, tratamento interno, armazenamento externo, coleta e transporte externo, tratamento externo e disposição final devidamente licenciado pelo órgão ambiental competente.

Os resíduos sólidos gerados são divididos internamente em recicláveis (papel, papelão, plástico, têxtil, metal), não recicláveis (restos de alimento, lodo biológico úmido e seco, cinza oriunda de caldeira movida a biomassa, papel sanitário, têxtil contaminado com produto químico e/ou óleo), eletrônicos (informática em geral, placas eletrônicas, fios eletrônicos), lâmpadas, pilhas e baterias, madeira e construção civil.

A norma ABNT 10004:2004 determina a classificação padrão para os resíduos sólidos gerados: Resíduos Classe I – Perigosos e Resíduos Classe II – Não perigosos, sendo este último subdividido em resíduos Classe II A – Não inertes e resíduos Classe II B – Inertes.

Além da classificação desta norma, na Resolução CONAMA 313/2002, são apresentados os códigos para identificação dos resíduos sólidos na elaboração e publicação do Inventário de Resíduos Sólidos também a ser realizado pela empresa anualmente.

O Grupo Malwee também se compromete em rastrear o transporte de resíduos por meio do Manifesto de Transporte de resíduos (MTR) conforme a legislação ambiental e além disso a receptação destes materiais será realizada por empresas licenciadas pelos órgãos ambientais.

Procedimentos Operacionais

Os procedimentos operacionais para descarte dos resíduos sólidos até o destinador final se dividem nas etapas descritas nos itens abaixo.

 SEGREGAÇÃO

A separação dos resíduos sólidos gerados acontece no próprio setor com o intuito de evitar a mistura de resíduos incompatíveis e contribuir para a melhor destinação do mesmo. Cada setor é tratado individualmente para atentar as particularidades dos mesmos e através das campanhas realizadas e do controle frequente, a segregação dos resíduos sólidos se torna mais eficiente.

ACONDICIONAMENTO

O acondicionamento é a distribuição ordenada dos resíduos sólidos em recipientes adequados que garantam estanqueidade e em condições regulares de higiene na segregação em cada setor da empresa.

ARMAZENAMENTO

O armazenamento corresponde ao local temporário específico para os resíduos sólidos à espera de tratamento adequado e também deve garantir estanqueidade e condições regulares de higiene.

TRATAMENTO

Tratamentos são os métodos aplicados para minimização dos impactos causados pela geração dos resíduos sólidos:

  • Reciclagem – resíduos sólidos que podem ser reaproveitados mediante processos de reciclagem de materiais sólidos como papel e plástico e que são encaminhados para empresas parceiras específicas
  • Descontaminação – processo realizado para descarte de resíduos de lâmpadas geradas na empresa
  • Destinação final – quando o resíduo sólido não é passível de reciclagem ou descontaminação, o mesmo é encaminhado para destinação em aterro (próprio ou de terceiros)

Gestão de Estoques

Além da gestão de resíduos de produção o Grupo Malwee possui programas e ações para evitar que produtos acabados se tornem resíduos devido ao tempo de armazenamento e obsolescência das coleções. Neste caso:

  • Investe constantemente em tecnologia e processos que agreguem características de durabilidade nas peças, o que inclusive sustenta o posicionamento da marca Malwee
  • Possui canais de vendas específicos para estes produtos
  • Tem um programa de doações, com a curadoria do Instituto Malwee, para instituições que atendem pessoas carentes.
Energia e Emissões

O Grupo Malwee reconhece o impacto do setor têxtil sobre o meio ambiente desde sua fundação. É uma história de ações que visam reduzir o impacto ambiental das suas operações que vai muito além dos limites legais.

Em se tratando de energia e gases de efeito estufa o Grupo vem promovendo ações para reduzir o consumo de energia, operar com fontes prioritariamente renováveis e por consequência, reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Metas e Compromissos Públicos

Com uma operação verticalizada e processos de transformação dentro de suas operações diretas o Grupo Malwee consome energia térmica e elétrica, de fontes móveis e estacionárias. A distribuição de consumo é aproximadamente 85% de energia térmica e 15% de energia elétrica. Este consumo de energia é utilizado para o cálculo de emissões de gases de efeito estufa, escopos 1 e 2 do GHG Protocol, o que nos permite afirmar que consumo de energia e emissões atmosféricas estão diretamente ligados. E com base nestes preceitos o Grupo Malwee definiu 2 metas no seu plano de sustentabilidade: 

1 – Redução de 15% do consumo de energia elétrica por peça produzida

2 – Redução de 20% das emissões de gases de efeito estuda.

A primeira meta, além da redução de consumo, tem um cunho muito mais educativo, pois é um valor facilmente compreendido por todos. E é uma ferramenta de conscientização, inclusive para áreas administrativas.

A segunda, até mesmo pela sua representatividade, tem o objetivo de melhorar a matriz energética da companha por renovável, e reduzir o impacto gerado pela sociedade no processo de aquecimento global.

O desempenho das metas é reportado anualmente no relatório de sustentabilidade da companhia, disponível no site: http://www.grupomalwee.com.br/

Além das metas o Grupo Malwee foi a primeira empresa de moda brasileira que assumiu o compromisso do Business Ambition 1,5°C que define metas ambiciosas de redução de emissões com base científica devidamente aprovadas pelo SBTI para limitar o aumento da temperatura global em 1,5°C.

O processo de definição das metas junto ao SBTI leva em torno de 2 anos e exige um estudo preliminar das emissões de gases de efeito estufa dos escopos 1, 2 e 3 do GHG Protocol. O prazo para definição das metas pelo Grupo Malwee é outubro/2021.

Gerenciamento na Operação

Para ambas as metas, energia e emissões o Grupo Malwee trabalha no formato de comitê para busca de alternativas para melhorar o desempenho destes dois indicadores.

O consumo de energia é monitorado mensalmente e as emissões tem o inventário anual. Até o momento, o Grupo implementou vários projetos para a redução de do consumo de energia, e por consequência das emissões, tais como:

 

 

  • Troca de matriz energética de gás natural para biomassa

  • Compra de energia elétrica incentivada com certificado de rastreabilidade

  • Reposição de motores e equipamentos com maior eficiência energética

  • Troca de iluminação em todas as fábricas por LED

Inventário de Emissões

A gestão de emissões deve partir do inventário e por isso o Grupo Malwee mensura e reporta suas emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa) por meio das diretrizes do Programa Brasileiro GHG Protocol, mantendo um relatório público anual das emissões desde 2013. Para contabilizar as emissões consideramos a utilização de combustíveis, consumo de energia elétrica, além de emissões fugitivas e processos de tratamento de efluentes.

Quanto ao cálculo das emissões provenientes do tratamento de efluentes, a mesma é realizada através de metodologia própria, tendo em vista as particularidades do Sistema de tratamento e do efluente gerado. Para baixar o inventário completo do Grupo Malwee de 2020 e dos anos anteriores acesse o Registro Público de Emissões: https://www.registropublicodeemissoes.com.br/participantes/2002

Em 2020, o Grupo Malwee tem consolidado as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) do Escopo 3 para fins da definição de meta para o compromisso Business Ambition 1.5°C, usando a abordagem de controle operacional onde o controle operacional é definido como entidades, instalações, atividades e fontes de emissões decorrentes das operações em que a empresa possui controle no ano inventariado.

A Figura 2 descreve as instalações consideradas. Nesse inventário são identificadas e quantificadas as emissões diretas e indiretas decorrentes da operação do Grupo Malwee. Sendo, emissões diretas denominadas emissões de Escopo 1, indiretas devido a uso de energia denominadas Escopo 2, e as emissões indiretas ocorridas ao longo da cadeia de valor, denominadas emissões de Escopo 3.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dentro dos limites organizacionais, foram selecionadas as atividades operacionais mais relevantes para o Grupo Malwee (Tabela 2), as quais tem as emissões quantificadas para fins de definição de meta.

 

 

 

 

 

 

 

 

Com este inventário aplicando os critérios de definição de metas estabelecido, o Grupo Malwee deve apresentar as novas metas de redução de emissões para aprovação do SBTI.

 

Gestão da Água

Qualidade e quantidade são os grandes desafios da disponibilidade de água para o consumo e equilíbrio da vida no planeta. O setor têxtil é responsável por 20% da poluição da água no mundo, o qual tem vivido eventos de escassez hídrica cada vez mais frequentes e globalmente distribuídos.

Na etapa de industrialização, do setor têxtil, os processos que mais consomem água são o beneficiamento da malha, tinturaria e estamparia. O fato de o Grupo Malwee concentrar todas essas atividades em um processo produtivo próprio (salvo pequena parcela de tecidos que são comprados tingidos) faz com que o controle sobre a água captada, utilizada e descartada seja mais eficiente, o que motivou a definição de metas ousadas de redução do consumo deste recurso no seu Plano de Sustentabilidade 2020.

O Grupo também tem clareza de que os impactos de toda a cadeia têm grande relevância, como na produção das matérias primas consumidas e na etapa de uso dos produtos, por isso, quando se trata de uso da água, estabeleceu também metas para melhorar seu conhecimento à cerca dos impactos ao longo da cadeia.

 

Abastecimento de água, um risco

O Grupo Malwee tem suas fábricas instaladas em áreas abundantes em água tanto no parâmetro qualidade, quanto quantidade, por isso os processos de licenciamento de operação e outorga de água não apresentam metas de redução do consumo.

A empresa estabelece metas voluntariamente. Os riscos relacionados à agua na operação do Grupo Malwee estão associados à sua localização, pois sua fábrica está situada muito próxima à diversos corpos hídricos.

Assim, o tema água aparece em duas frentes de análise de risco:

1 – Que segue a ISO 31000, aplicada para diversos temas que podem gerar risco para a companhia, entre eles meio ambiente – água, que considera a probabilidade de ocorrer algum evento que impacte os corpos hídricos do seu entorno e severidade.

Nesta análise o tema água, enquanto risco de dano a qualidade é alto, e por isso a companhia estabelece uma série de medidas de controle na sua operação para conter qualquer tipo de vazamento que possa via a contaminar corpos hídricos e lençóis freáticos.

2 – Que considera os impactos de toda a sua cadeia de valor. Esta é uma análise mais complexa, iniciada em 2019, com a elaboração da primeira análise de ciclo de vida organizacional, considerando o impacto de escassez hídrica, cujos resultados constam no relatório de sustentabilidade da empresa em http://www.grupomalwee.com.br/uploads/arquivos/73.pdf

Assim, usando estas duas ferramentas periodicamente, a companhia visa medir o impacto e o risco associado para fins de definição de metas e definição de medidas de controle, mitigação e eliminação dos riscos.

Metas

Dada a importância do tema água para o negócio, desde 2014, o Grupo Malwee definiu como meta para água: 

1 – Redução de 40% do consumo por peça produzida

Esta meta visava apenas a eficiência de processo, pois o objetivo é reduzir ao máximo a necessidade deste recurso. Por este motivo, a companhia não desconta do seu consumo a água de reuso para fins de monitoramento da meta.

Além deste indicador, a empresa monitora outros que auxiliam na gestão do tema internamente, tais como:

  • Quantidade de água reutilizada
  • Quantidade de água consumida por fonte em valor absoluto.
  • Geração de efluentes
  • Qualidade do efluente tratado
  • Escassez hídrica por meio de ACV

Desempenho

O desempenho do Grupo Malwee em relação a agua é apresentado no seu relatório de sustentabilidade. Lá pode-se verificar que as tecnologias atuais não trouxeram a redução almejada, mas mesmo assim a companhia conseguiu uma redução de 5% por peça produzida. Em valor absoluto a redução é mais expressiva, principalmente considerando o quanto a empresa deixa de captar com o sistema de reuso.

Quanto ao impacto na cadeia, a realização do ACV de 2019 apresentou uma redução de 7% em valor absoluto e 10% por peça.

Assim podemos atribuir a redução tanto na indústria, quanto na pré-cadeia á investimentos e ações como:

  • Estação de tratamento altamente tecnológica que permite o reuso do efluente tratado nos processos fabris
  • Lavanderia 5.0 que reduz em até 98% o consumo de água no processo de fabricação de uma calça jeans
  • Projeto Blue Magic que reduz a quantidade de água nas etapas de preparação do tingimento

O Grupo também possui sistemas de captação de água de chuva, o que impacta positivamente, pois reduz o impacto no corpo hídrico no momento da captação.